A importância da ficha de anamnese na micropigmentação

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Identificar o estado clínico e emocional da cliente em uma entrevista prévia, a anamnese na micropigmentação, é essencial para a segurança dos envolvidos e o sucesso do procedimento.

A palavra anamnese no mundo clínico refere-se uma entrevista realizada pelo profissional de saúde com seu paciente, na intenção de ser um ponto inicial para o diagnóstico de uma doença. A anamnese na micropigmentação segue o mesmo caminho, no sentido de conhecer melhor a situação clínica da cliente antes do procedimento.

Pensar que a pele é um órgão extremamente sensível deixa claro o tamanho da responsabilidade de mexer com ela. Ao entrar no tema micropigmentação estamos falando de implante de pigmentos na pele e logo vem a questão: como é possível realizar esse procedimento sem saber nada sobre a cliente, se tem alguma alergia, se fez algum tipo de cirurgia, se teve alguma doença relevante, já que tudo isso pode interferir na cicatrização e no resultado? 

Por essas e outras, é que a anamnese na micropigmentação é tão importante, pois ajuda a profissional dessa área da estética a traçar estratégias para aproveitar melhor os recursos técnicos que tem de forma a garantir a segurança e a saúde da cliente.

A busca desenfreada por procedimentos estéticos leva muita gente a fechar os olhos para a importante questão da eficiência que tais intervenções podem ter em seus casos. Geralmente as pessoas chegam à clínica movidas por influência ou indicação. Por isso, a ficha de anamnese na micropigmentação é essencial, pois através dela o profissional poderá avaliar melhor a condição da cliente, esclarecer dúvidas e até propor outras técnicas, se necessário, que atenderão melhor os seus anseios.

Caso a anamnese na micropigmentação mostre que a cliente tem alguma contraindicação ao procedimento, o profissional deve pedir uma avaliação médica e explicar os motivos da precaução. Esse tipo de atitude demonstra profissionalismo e transmite confiança a quem quer se submeter ao método.

No entanto, apesar de a ficha de anamnese na micropigmentação ser um documento importante para levantar condições e um histórico da cliente, seu uso ainda não é unanimidade entre os micropigmentadores. Isso pode trazer sérios riscos, tanto para os clientes quanto para os profissionais, além de passar uma imagem de falta de interesse do profissional pelas características individuais, contraindicações, saúde e segurança do cliente.

Vale ressaltar que necessitam de autorização médica para realizar o procedimento os clientes com alergia aguda ou crônica, doença de pele aguda ou crônica, glaucoma, doenças cardíacas, câncer, diabetes, hepatite, herpes, HIV, hanseníase, queloides, bem como quem fez cirurgia nas pálpebras ou tem prótese facial. Não é recomendado realizar o procedimento em grávidas, hemofílicos e depressivos. Todas essas informações devem ser apuradas na anamnese na micropigmentação.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A anamnese na micropigmentação pode ser de dois tipos:

Livre – O cliente fala sobre sua vida e sua saúde, os procedimentos que já realizou, o que motivou a busca pelo aquele método, suas expectativas com o resultado. Trata-se de uma conversa espontânea, quase sem roteiro.

Dirigida – Feita com base em um questionário previamente elaborado com perguntas abertas ou fechadas, tem como objetivo conhecer pontos específicos e importantes do histórico da cliente, com vistas a auxiliar na composição de uma análise. Essa é uma maneira mais adequada para procedimentos minimamente invasivos.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Uma anamnese na micropigmentação deve buscar as seguintes informações do cliente:

✔ Dados pessoais básicos, como endereço e contatos;

✔ Motivo da procura, incluindo as queixas;

✔ Tipo de pele, para saber qual técnica melhor se adapta;

✔ Tipo sanguíneo, para prevenção de problemas;

✔ Estado clínico e histórico de saúde, pois podem impedir a realização do procedimento ou necessitam de testes e de autorização médica.

✔ Uso de medicamentos no momento ou se faz uso contínuo de medicação controlada, pois alguns deles são anticoagulantes e interferem na cicatrização da pele;

✔ Alergias a determinadas substâncias, cosméticos e outros produtos, e quais reações causam;

✔ Procedimentos recentes na região onde deseja realizar o procedimento;

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Produtos utilizados

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) exige que o profissional coloque na ficha da cliente as seguintes informações sobre os produtos utilizados no procedimento de micropigmentação:

✔ Pigmento cor

✔ Número do lote

✔ Fabricante

✔ Número ANVISA

✔ Data de Fabricação

✔ Data de validade

✔ Data de abertura do frasco

✔ Nome do profissional que realizou o procedimento.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Para finalizar a ficha de anamnese na micropigmentação a cliente deve colocar sua assinatura, igual a do documento de identidade, e datar. No caso de cliente menor de idade, também deve ser preenchido um documento chamado Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) em duas vias, uma para ser anexada na ficha de anamnese na micropigmentação e outra para o responsável legal. Cópias dos documentos de ambos também devem ser anexadas à ficha.

Conheça os equipamentos de última geração para os trabalhos de micropigmentação na PmuLoja. Acesse: https://www.pmuloja.com.br/pmu_br/dermografos-amiea