Cuidados ao buscar por um dermógrafo bom e barato

Quem deseja ter sucesso com a micropigmentação deve observar algumas características dos aparelhos, antes de procurar um dermógrafo bom e barato.

Com o crescimento da micropigmentação no Brasil, cresce também a procura por um dermógrafo profissional para realizar um bom trabalho, que deixe as clientes satisfeitas. Esses aparelhos são responsáveis por aplicar os pigmentos na pele, através de agulhas descartáveis.

No entanto, a escolha do equipamento, principalmente para quem está em início de carreira, é uma grande responsabilidade e pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso nesse mercado. O que acontece geralmente é que a busca desse profissional pelo material de trabalho acaba caminhando para a compra de um dermógrafo bom e barato, impulsionada pela ideia de fugir de altos investimentos.

Mas será que a escolha do dermógrafo faz realmente a diferença? De acordo com especialistas do segmento, a escolha do aparelho é de vital importância para o trabalho de micropigmentação e colabora muito para o resultado. Mas tudo vai depender do momento em que a pessoa está na profissão: se está aprendendo a fazer os fios e quer que eles fiquem bem finos e firmes deve saber, primeiramente, que isso requer muito treino e dedicação.

Assim, a micropigmentadora iniciante vai aos poucos conseguindo ter firmeza na mão e aprendendo a usar a força certa para produzir determinado efeito, tanto em pele artificial quanto na pele das clientes. Com o tempo consegue obter resultados com efeitos degradê, esfumado, fio a fio, realista, mais finos, e adaptar a sobrancelha ao gosto da cliente.

Esse caminho pode ser impulsionado pela escolha do dermógrafo. Há muitos aparelhos no mercado e vários com o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a ANVISA, vinculada ao Ministério da Saúde, mas o que fica evidente ao compará-los é que uns vibram mais que outros, normalmente os que entram na classificação de dermógrafo bom e barato.

O problema, segundo quem é experiente na profissão, é que quanto mais o dermógrafo vibrar, mais efeito essa vibração terá nas agulhas e menos perfeito, menos firme ficará cada fio. Na verdade, comprar um dermógrafo bom e barato pode sair mais caro.

Vibração atrapalha o trabalho

Quem vai usar um dermógrafo bom e barato deve ter mão firme e movimentos precisos, o que só é possível depois de muito tempo de prática nesse trabalho. Ou seja, quem está começando precisa de um equipamento que produza um resultado mais forte. Muita gente passou por essa situação e sabe a dificuldade que teve para usar um equipamento que vibrava muito e logo que pôde mudou a escolha.

Por outro lado, quem tem mais experiência na profissão e já atendeu centenas de clientes até consegue dominar o excesso de vibração produzido por um dermógrafo bom e barato, mas acaba procurando os aparelhos que melhor se adéquem às suas habilidades ou os mais sofisticados para desenvolver as melhores técnicas. Os que vibram menos produzem melhores resultados, mas pedem maior investimento.

Na verdade, a questão da vibração é mais séria do que se imagina. O motivo é que, durante o funcionamento de um dermógrafo, a agulha sai e implanta o pigmento na pele, depois volta e se abastece de mais pigmento. Isso acontece inúmeras vezes por segundo, de acordo com a velocidade escolhida pelo micropigmentador.

Se há muita vibração no aparelho, o profissional sente na própria mão o sinal de que algo não está colaborando para a precisão do trabalho que visa obter fios retos. No entanto, as consequências da trepidação podem ir além dos erros e machucar demais a pele, trazendo maior dificuldade de cicatrização.

Agulhas, velocidade e outros

Ao falar em agulhas, é importante frisar que cada dermógrafo tem estrutura própria e as agulhas não são universais, ou seja, não servem para qualquer aparelho. Em outras palavras, ao escolher um aparelho, seja sofisticado ou um dermógrafo bom e barato de determinada marca é preciso saber que os acessórios, as agulhas e a manutenção estarão ligados ao mesmo fabricante.

Outro cuidado importante ao buscar por um dermógrafo bom e barato é quanto à potência e a constância na velocidade. Há aparelhos que apresentam alteração durante o trabalho, perceptível com a mudança no ruído enquanto estão em operação. Nesse caso, eles podem fazer o fio e não implantar a quantidade necessária de pigmentos, o que acaba comprometendo o resultado.

Vale ressaltar ainda a importância de verificar se o dermógrafo conta com registro na ANVISA, que controla e regula a área sanitária de serviços e produtos nacionais ou importados. O ideal é fugir do dermógrafo bom e barato que não tenha esse registro, pois, além de não ser seguro, pode render uma multa bem alta ao micropigmentador, em uma eventual fiscalização.

Para completar, caso o dermógrafo bom e barato seja importado, antes de pensar em comprá-lo é bom verificar se ele tem assistência técnica no Brasil e se as peças podem ser encontradas com facilidade, para evitar transtornos. Equipamentos de sites chineses, por exemplo, não oferecem essa estrutura pois lá esse tipo de aparelho é descartável, não tem assistência técnica. Avaliar a relação custo-benefício é essencial.

Um erro comum é se empolgar com o dermógrafo que vem de brinde nos cursos de micropigmentação. Os especialistas alertam que nada é de graça, pois o custo está embutido no preço. Eles frisam que esse aparelho certamente é um dermógrafo bom e barato senão o preço do curso ficaria inviável, o que significa que e a profissional logo terá de substitui-lo se quiser trabalhar bem.

O fato é que se o dermógrafo faz uma grande diferença no resultado do trabalho de micropigmentação, ter uma boa máquina deve estar nos planos de todo profissional da área mesmo que isso envolva um investimento significativo, para que possam realizar um bom trabalho com mais tranquilidade. 

Entre os modelos mais indicados de dermógrafos profissionais, destacam-se os da marca Amiea:

Linelle Supreme, considerado atualmente um dos melhores do mundo pelos principais nomes da micropigmentação, esse modelo tem design ergonômico, display digital, é leve, silencioso, tem baixa vibração e pode ser usado em todos os tipos de micropigmentação;

Linelle Two, um dos mais comercializados no Brasil, que conta com dispositivo leve e ergonômico. Por ser portátil, é indicado para profissionais autônomos da micropigmentação. Tem profundidade de inserção e frequência ajustáveis, alta precisão, proporciona boa cicatrização, tem baixo nível de ruído e de vibração.

Conheça a PMULoja, especializada em produtos para micropigmentação, extensão de cílios e estética em: https://www.pmuloja.com.br/pmu_br/dermografos-amiea