Infecções cruzadas e infecções gerais.

O procedimento de micropigmentação é uma técnica de estética, que causa beleza a naturalidade devido a precisão do procedimento, mas também é uma área de interesse da saúde, pois ao injetar pigmento na pele, causa-se uma lesão, tornando-a um procedimento invasivo, que inclui riscos de infecções e contaminações.

A infeção cruzada se trata da transferência de microrganismos de uma pessoa (ou objeto) para outra pessoa, resultando em uma infecção.

As infecções ocorrem quando microorganismos (vírus, bactérias, fungos, etc) invadem o corpo. Existem dois tipos básicos de infecções: sintomática e assintomática.

Ao preparar a sala para realizar um procedimento é extremamente importante não se descuidar dos aspectos de saúde e higiene, que são de fundamental importância neste trabalho. Antes mesmo de pensar em como montar uma sala cirúrgica, deve-se estar atento e ressaltar os riscos de contrair infecções dentro dela.

É sabido que a realização de um procedimento de micropigmentação pode levar ao sangramento. O profissional que realizará o procedimento inevitavelmente tocará o sangue com luvas descartáveis e o transferirá para todos os objetos manipulados com essas luvas.

A menos que todas as áreas contaminadas sejam desinfetadas com produtos e métodos apropriados no final do procedimento, o próximo cliente pode ser infectado por um vírus do cliente anterior, e quanto a vírus pode-se referir a bactérias, algas, fungos, AIDS, entre outros.

As doenças infecciosas são causadas por uma ampla gama de microrganismos: príons, vírus lipídicos e não lipídicos, bactérias com esporos e sem esporos, micobactérias e fungos.

Os príons são anormais entre os agentes infecciosos porque não possuem ácido nucleico e são resistentes a desinfetantes e à ebulição. Os vírus não lipídicos são mais resistentes do que aqueles com revestimento lipídico e as micobactérias são mais resistentes que as bactérias. Os esporos bacterianos são resistentes a todos os desinfetantes, bem como à ebulição.

Princípios gerais de doenças infecciosas.

Os germes, ao penetrarem no organismo, colonizam a área-alvo e se aprofundam induzindo uma reação inflamatória e imunológica provocando sucessivamente reações generalizadas e manifestações sintomáticas.

As infecções podem ser transmitidas de duas maneiras:

  • Diretamente: através do sangue, membranas mucosas ou inalação.

  • Indiretamente: por meio de agulhas ou instrumentos, mãos, insetos,objetos, roupas ou alimentos.

Frequentemente, as infecções são imediatamente neutralizadas pelas defesas imunológicas, por meio das ações combinadas de glóbulos brancos, anticorpos gama globulina, competição com bactérias não patogênicas, como saprófitas e muitas outras substâncias.

A melhor defesa é a proteção específica obtida com as vacinas. As vacinas são uma exigência legal para quem trabalha no setor de saúde, e os profissionais de dermopigmentação não podem e não devem dispensá-las, isso porque os profissionais de saúde são considerados pessoal de risco devido ao contato frequente com pacientes e materiais potencialmente infecciosos, e por isso serem submetidos a vacinação é crucial.

Os profissionais da área de micropigmentação , podem correr o risco de infecção (risco biológico) por meio de transmissão acidental por qualquer cliente infectado. As infecções são transmitidas por cortes e perfurações por ferramentas infectadas ou exposição das membranas mucosas ao sangue infectado. Isso pode ocorrer ao se furar  com uma agulhas  infectada ou ao se ferir com alguma ferramenta contaminada com o sangue de outra pessoa.

Sendo assim, a falta de esterilização adequada dos equipamentos e das mãos podem ser considerados os principais causas de transmissões de infecções. Por isso os profissionais da área da micropigmentação  devem ser extremamente minuciosos com os cuidados de higiene dentro do estabelecimento, alguns dos cuidados a serem tomados são:

  • Possuir lixeiras específicas para descarte de material biológico;

  • Estar informado sobre alergias, doenças de pele e outras doenças sistêmicas do cliente;

  • Descartar todo material após o procedimento;

  • Abrir material descartável na frente do cliente;

  • Usar EPIs, como luvas, máscaras, touca e óculos

  • Higienizar corretamente toda a sala de procedimento, antes e após a aplicação da técnica.

Outro fator de extrema importância é se os equipamentos utilizados seguem todas as normas de saúde e higiene, como os dermógrafos Amiea, que possuem registro na ANVISA garantindo total qualidade e segurança para realizar os procedimentos. Além disso, as agulhas amiea, possuem uma tecnologia exclusiva anti-refluxo. A cápsula se prende a agulha por meio de uma membrana plástica, desta forma a agulha fica isolada do restante da caneta. Dessa forma, não há passagem de linfa, sangue ou tinta para a caneta do dermógrafo, evitando assim, a contaminação cruzada. Com isso, as agulhas amiea garantem um procedimento 100% seguro.   

Gostou deste artigo? Saiba mais em https://www.pmuloja.com.br/pmu_br/dermografos-amiea.