O FENÔMENO AMIEA⠀⠀

"Um mergulho na história da marca alemã, que chegou há apenas quatro anos no Brasil sem sequer ser conhecida ou pronunciada direito e hoje é sinônimo de status e sonho de consumo para micropigmentadores".

- Por Sâmia Salem

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O excelente nível artístico dos nossos micropigmentadores e o potencial de crescimento da Amiea no Brasil, fizeram do país um dos mais importantes mercados para a marca alemã.

Essa informação ganha ainda mais relevância quando lembramos que a empresa é líder mundial na fabricação de dermógrafos, tem 20 anos de estrada, está presente em mais de 40 países, tem seu maior volume de vendas na China e só chegou em território nacional há quatro anos.

“Iniciamos a comercialização quando o brasileiro não tinha ouvido e nem sabia pronunciar 'Amiea'. Mas, menos de dois anos depois, os produtos já estavam nas mãos de mais de 2.500 profissionais, que não só aprenderam a falar 'Amiea' perfeitamente como também se sentiram estimulados a micropigmentar também olhos e lábios ao invés de se limitar às sobrancelhas e a criar técnicas próprias, cada vez mais delicadas e realistas devido à precisão dos dermógrafos.

A diversas configurações de agulhas à disposição para compra em todos os estados brasileiros”,

- Resume Bruno Gargioni Donice, sócio-proprietário da Celebrim

A Celebrim que tem exclusividade para importar e distribuir produtos Amiea no Brasil, é responsável por registrar os equipamentos junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prestar assistência técnica, treinamento profissional e garantir a divulgação da marca em feiras, congressos, workshops e escolas de micropigmentação.

Segundo ele, há um alto investimento em educação e em solucionar qualquer problema que surja com os equipamentos.

“Não poderia ser diferente. Afinal, quanto mais atendimentos o profissional realizar, maior será o nosso faturamento, que vem da venda das agulhas e não do dermógrafo, o que explica o fato dele ser parcelado em até 36 vezes para favorecer a aquisição até para quem está iniciando na micropigmentação”, esclarece Bruno.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Amiea - Linelle Two Dermógrafo - Linelle Two
Dermógrafo - Linelle Supreme
Dermógrafo - Linelle Facile

O dermógrafo da Amiea mais vendido no Brasil é o Linelle Two, que ganha em leveza, facilidade de transportar e de operar e no preço, já que está entre os mais baratos.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Um passo à frente

Além de contar com diferentes especialistas na equipe e manter um canal aberto para micropigmentadores que são referências em seus países de origem darem feedback sobre os produtos. Outras duas grandes sacadas do presidente da MT.Derm foi produzir os próprios 'Dermógrafos', 'Agulhas' e reunir esse centro produtor de pesquisa e de desenvolvimento e um único espaço (situado em Berlim, tem 5.200 metros quadrados).

“Dessa maneira ganhamos flexibilidade e agilidade para inovar, aperfeiçoar o que já existe, melhorar os padrões de segurança e higiene, enfim, estar sempre um passo à frente”, esclarece Jörn

Obs:

Lembrando que ao longo dos anos a MT.Derm colecionou inúmeras patentes relevantes para a micropigmentação, entre elas:

  • Sistema modular com agulhas integradas em cartuchos descartáveis, esterilizados e com uma membrana de segurança que evita o retorno de tinta e sangue ao dermógrafo, evitando a chamada contaminação cruzada;


  • Redução do ruído e da vibração do dermógrafo, garantindo precisão no trabalho mesmo após várias horas de uso do equipamento;


  • Placas de agulha inclináveis que se ajustam à superfície da pele, reduzindo traumas;


  • Tecnologia que mede a resistência e espessura cutânea e promove ajuste automático da frequência e profundidade de perfuração do equipamento;


  • Dentificação automática da configuração da agulha pelo dispositivo.

ESPECIAL PARA O BRASIL

A estratégia da Amiea de ouvir micropigmentadores para aperfeiçoar seus produtos rendeu duas importantes conquistas para os profissionais brasileiros:

  • A criação de um estabilizador para que as oscilações de energia típicas do país parassem de queimar os dermógrafos depois de algumas horas de uso.

“Os alemães montaram uma força-tarefa para descobrir o que estava acontecendo e eliminar o problema de vez”, conta Bruno Gargioni Donice


  • A mudança na composição e na intensidade dos pigmentos para que as cores se adaptassem melhor à pele escura e miscigenada da brasileira.

“Só estamos aguardando a aprovação da Anvisa, que deve acontecer em breve, para iniciar as vendas”, diz Bruno⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Considerado o melhor dermógrafo do mundo por sua precisão, silêncio e durabilidade superior a dez anos e sem necessidade de manutenção (quando usado da maneira correta), Linelle Supreme

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Selo de qualidade alemã

Tanto a Amiea, especializada em dermógrafos, agulhas e pigmentos para micropigmentadores, quanto a Amiea Med, de dispositivos para micropigmentação paramédica e rejuvenescimento, fazem parte do grupo MT.Derm. Por trás dele está o alemão Jörn Kluge, que depois de fazer mestrado em administração de empresas nos Estados Unidos, voltou para casa, em Berlim, para ajudar o pai fabricante de agulhas a alavancar seu negócio. Apesar de ser um apaixonado pela técnica e saber do boom que ela vivia na Itália, Jörn sabia que para se tornar competitivo precisava investir alto. Então partiu também para o rico mercado da tatuagem e, em parceria com um renomado tatuador alemão, lançou a marca Cheyenne, que revolucionou a indústria com a criação de um sistema de cartuchos intercambiável e que permitia ao artista mudar a configuração de agulhas em segundos. Se a estratégia deu certo? “Quando começamos, em 1998, nossa equipe tinha 15 pessoas e hoje reúne mais de 250, entre engenheiros, cientistas, programadores, químicos e designers, que trabalham em parceria com universidades e consultores formados por médicos e bioquímicos. O sucesso dos nossos produtos e a nossa reputação internacional são baseados nessa crescente rede global de técnicos que compartilham ideias, nos inspiram e desafiam com suas demandas e expectativas”, conta Jörn Kluge.